Mesa Redonda: “Quando conjugalidades, gêneros e emoções são categorias analíticas das ciências sociais”

 

Expositoras

Dra. Francisca Verônica Cavalcante (CORPOSTRANS/UFPI)

Dra. Telma Amaral Gonçalves (GEPEM/UFPA)

Dra. Michele Escoura Bueno (PAGU/UNICAMP)

 

Moderador

Me. Breno Rodrigo de Oliveira Alencar (GICEP/IFPA)

 

Data: 23/05/2019

Hora: 14:30

Local: Sala 15 – PPGSA- IFCH

 

*Com emissão de certificado para os presentes

O Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) e @Núcleo ACTA - Ação Pública, Território e Ambiente (ACTA) irão promover a conferência “Sindicalismo rural na Amazônia, conflitos sociais por terra e território e o legado de Chico Mendes”.

 

O debate será conduzido pelo professor Elder Andrade de Paula (CFCH/UFAC), que é doutor em Ciências Sociais pelo CPDA/UFRRJ e junto com Chico Mendes fundou a Central Única dos Trabalhadores do Acre. 

 

Após a conferência, será exibido o documentário “Voltando do Seringal: Como e para Onde?”, que foi produzido e dirigido por Emilson Ferreira de Souza. O produto audioviual é fruto da pesquisa de doutorado de Emilson, que também dirigiu e produziu “Amazônia Viva” (2013). 

 

Data: 4 de abril

Horário: 10h

Local: auditório do IFCH

 

O PPGSA e a Faculdade de Ciências Sociais convidam você a participar da Palestra "E a rede criou o homo connexus: uma abordagem sociológica à internet”.

Dia 03 de dezembro às 16h
Palestrante: Dr. José Luís Garcia (ICS/Universidade de Lisboa)
Local: Sala nº 313 - Mirante do Rio (UFPA)

Sobre o autor:
José Luís Garcia é doutor em Ciências Sociais pela Universidade de Lisboa e Investigador Principal no Instituto de Ciências Sociais da mesma Universidade. A sua investigação mais recente incide num dos domínios que observou uma mudança estrutural desde há um quarto de século nas sociedades contemporâneas: a emergência das tecnociências e o laço estabelecido entre estas, o Estado e o mercado, com profundas consequências nos planos social, cultural, científico, tecnológico, comunicacional, ecológico, político, ético e para as quais é necessário encontrar resposta. As principais áreas onde desenvolve pesquisa são: teoria social crítica, sociologia da ciência e da tecnologia, filosofia da tecnologia, economia política e estudos de comunicação, media e jornalismo.

A conquista da política de cotas faz parte da luta por um novo projeto de sociedade pelo qual o Movimento Negro vem lutando há várias décadas, uma vez que pessoas negras foram excluídas não só do acesso à educação, como também de todos os espaços de poder. Nos últimos anos alcançamos vitórias pontuais que beneficiam não só a população negra como também outras minorias sociais, conquistas estas que apesar de sempre terem sido questionadas, passaram a estar entre as políticas públicas mais ameaçadas depois do golpe de 2016. Hoje, após o resultado da última eleição, o que vislumbramos é que tempos muito piores nos aguardam, inclusive a perda de muitos desses direitos, inclusive, a política de cotas. Diante disso nos perguntamos: Quais os nossos desafios diante de um governo declaradamente racista e fascista? E como articularemos nossa resistência?
No mês da consciência negra, e tendo em vista nosso atual cenário político este debate mostra-se muito oportuno e pertinente.

Local: Auditório do IFCH
Data: 30/11/2018
Horário: 9 horas

O convite é para todas/os. O evento é aberto, gratuito e posteriormente enviaremos os certificados por e-mail.
Aguardamos vocês lá!
Informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

MINICURSO DE SOCIOLOGIA BRASILEIRA

Período: 26 a 30 de novembro de 2018

Hora: 15h-19h

Local: sala 15 do PPGSA

 

Ementa:

O curso pretende abordar os processos que antecedem e ao mesmo tempo participam do surgimento da sociologia crítica no Brasil. Destaque nesse sentido deve ser dado aos debates ocorridos entre Florestan Fernandes e Guerreiro Ramos sobre o papel do sociólogo em tempos de mudança. Enfocar também Gilberto Freyre, o regionalismo e o pensamento sociológico do centro sul, defendendo o luso tropicalismo e a autonomia sociológica das regiões. O curso buscará destacar a importância da questão agrária e urbana e da questão nacional e regional, ressaltando a emergência de novas correntes sociológicas comprometidas com temas e problemas do Brasil contemporâneo.

ENCONTROS SOCIOANTROPOLÓGICOS EM NOVA DATA: QUINTA-FEIRA, DIA 08/11, ÀS 14 HORAS

 

O Encontros Socioantropológicos convida Luzia Gomes Ferreira para uma conversa sobre os itinerários diaspóricos da arte africana em Portugal! Venham conosco!!

 

ENTRANHAMENTOS E ESTRANHAMENTOS NA OUTRA MARGEM ATLÂNTICA: Estudando Arte Africana Contemporânea Fora De Casa

Repensando o Processo

 

Encontros Sócio-Antropológicos é uma iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA), com o propósito de provocar trocas, questionamentos e convergências entre perspectivas variadas da reflexão e da atividade de pesquisa nas Ciências Sociais e nas Humanidades, bem como da sociedade.

Neste Encontros, a Sociologia e a Antropologia dialogam com a produção cultural e artística em Lisboa, tomando as Artes Visuais Africanas por fio condutor dos itinerários de Luzia Gomes Ferreira, nossa convidada, com a participação de Edna Alencar, como debatedora.

 

Profª Dra. Luzia Gomes Ferreira é poeta, feminista negra e professora do Instituto de Ciências da Arte (ICA/UFPA), com formação acadêmica em Museologia e Antropologia Social, com interesses de pesquisa em Patrimônios; Museus e Teoria Museológica; Gênero; Arte Africana Contemporânea; Representações Imagéticas do Corpo Negro nas Artes; Cinema e Poesia. É autora do livro de poesia Etnografias Uterinas de Mim (2017), publicado em Lisboa.

Profª Dra. Edna Alencar é antropóloga social e professora do Instituto de Ciências Sociais (ICS/UFPA), líder do grupo de pesquisa Estudos sobre Populações Tradicionais, Identidade, Gênero e Ambiente (GEPTIGAM / UFPA), com interesses de pesquisa em gênero, antropologia ambiental e antropologia social e cultural.

 

Local: Laboratório de Antropologia (LAANF).

Data: quinta-feira, 08/11/2018.

Horário: 14 horas.

 

O presente Encontro contará com a emissão de certificados às participações assinadas. Aguardamos vocês lá!

Informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O "Café com ciência", da Coordenação de Ciências Humanas, convida você a participar da Palestra "Vamos segurar nossas pontas!” Paisagens em movimento e domínio sobre os lugares no rio Arapiun.

Dia 31 de outubro às 15h

Palestrante: Drª Emilie Stoll (CNRS – Centro Nacional de Pesquisa Científica / França)
Local: Sala nº 06 - Auditório Paulo Cavalcante.
OBS: O evento acontecerá, excepcionalmente, na Sala 06, do Auditório do Campus de Pesquisa do Museu Goeldi devido a ocupação das salas da Coordenação de Ciências Humanas por ocasião do Museu de Portas Abertas.

 

Resumo: As pontas são feições salientes das paisagens de praia encontradas nas beiras dos rios Arapiuns e Tapajós, na região de Santarém-PA, no Baixo Amazonas. As mudanças sazonais constantes se veem de maneira marcante nas pontas: elas oscilam entre o seco e o molhado, ora são faixas de terra emersas e visíveis, ora estão sob a água e são pouco visíveis. Elas constituem um prolongamento de terra que adentra o rio e são consideradas pelas populações locais como uma passagem entre a superfície e o fundo. As pontas são, portanto, um espaço liminar, de interface, onde os humanos encontram-se com seres subaquáticos, os encantados. Essa liminaridade se expressa também no seu caráter híbrido, já que ali se encontram diferentes elementos (água/terra), diferentes mundos (terrestre/subaquático, humano/não humano) e, como veremos, diferentes períodos (passado/presente). Em um quadro renovado de estudos sobre as relações entre as Sociedades e o meio ambiente[1][1][1], as paisagens não são mais consideradas como simples panos de fundo sobre os quais se realizam as atividades sociais. Seguindo essa linha, apresentarei um estudo relacional do conceito amazônico de pontas, tal como percebido pelos moradores do rio Arapiuns, o último afluente do rio Tapajós. Mostrarei como o padrão de interações entre vários coletivos de “donos” – sejam eles humanos ou não humanos, que residem juntos em pontas específicas - informa a maneira como as pessoas se relacionam com os lugares. As transformações nas paisagens resultam dessas interações e induzem mobilidades de pessoas e de não humanos ao longo do rio, legitimando as ocupações territoriais de alguns grupos familiares em determinados lugares. Em uma região onde não houve até hoje uma regularização fundiária satisfatória, as transformações das paisagens ecoam as formas de domínio da terra.

É um momento importante de interação e troca de conhecimento. Contamos com a sua presença!


Evento gratuito.

Encontros Sócio-Antropológicos apresenta:
ENTRANHAMENTOS E ESTRANHAMENTOS NA OUTRA MARGEM ATLÂNTICA: Estudando Arte Africana Contemporânea Fora De Casa
Repensando o Processo

Encontros Sócio-Antropológicos é uma iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA), com o propósito de provocar trocas, questionamentos e convergências entre perspectivas variadas da reflexão e da atividade de pesquisa nas Ciências Sociais e nas Humanidades, bem como da sociedade.

Neste Encontros, a Sociologia e a Antropologia dialogam com a produção cultural e artística em Lisboa, tomando as Artes Visuais Africanas por fio condutor dos itinerários de Luzia Gomes Ferreira, nossa convidada, com a participação de Edna Alencar, como debatedora.

Profª Dra. Luzia Gomes Ferreira é poeta, feminista negra e professora do Instituto de Ciências da Arte (ICA/UFPA), com formação acadêmica em Museologia e Antropologia Social, com interesses de pesquisa em Patrimônios; Museus e Teoria Museológica; Gênero; Arte Africana Contemporânea; Representações Imagéticas do Corpo Negro nas Artes; Cinema e Poesia. É autora do livro de poesia Etnografias Uterinas de Mim (2017), publicado em Lisboa.

Profª Dra. Edna Alencar é antropóloga social e professora do Instituto de Ciências Sociais (ICS/UFPA), líder do grupo de pesquisa Estudos sobre Populações Tradicionais, Identidade, Gênero e Ambiente (GEPTIGAM / UFPA), com interesses de pesquisa em gênero, antropologia ambiental e antropologia social e cultural.

Local: Laboratório de Antropologia (LAANF).
Data: quinta-feira, 25/10/2018.
Horário: 14 horas.

O presente Encontro contará com a emissão de certificados às participações assinadas. Aguardamos vocês lá!
Informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Está ocorrendo no campus da UFPA esta semana o III Encontro de Antropologia Visual da América Amazônica (EAVAAM). O evento tem o apoio do PPGSA e conta com a participação de grandes nomes da antropologia como os profs. Drs. Marcos Alburquerque (UFSC), José da Silva Ribeiro (Universidade Aberta de Portugal),  Lisbete Coradini (Universidad Nacional Autónoma de México), Luisa Elvira Belaunde(Universidade de Londres), Renato Athias (Universidade de Paris X) e Luis Guilhermo Vasco Uribe (Universidade Nacional da Colômbia). São, no todo, 16 grupos de trabalho e, durante toda a duração do evento(de 19 a 21/09), a Exposição Fotográfica “Descida do Rio Niger”, inédita no Brasil estará no auditório do ICJ- UFPA.

 

 Hoje a programação do evento prosseguirá com oficinas, mesa redonda, conferência com o José da Silva Ribeiro (Uab- Portugal), exibição de filmes etnográficos, grupos de trabalho e programação cultural.

 

Amanhã(21/09), a programação começa às 9h com a 2ª sessão de oficinas, depois sucede a exibição de filmes vencedores do I Festival do Filme Etnográfico do Pará, grupos de trabalho, mesa redonda e uma conferência com o prof. Luis Guillermo Vasco Uribe, Antropólogo da Universidade Nacional da Colômbia, intitulada “Las cosas-conceptos y La investigación solidaria”.

 

Fique atento aos locais de cada atividade!

www.eavaam.com.br

Palestra "Capitalismo flexível, sindicatos e movimentos sociais na América Latina", com o prof. José Ricardo Ramalho.  

 
 
José Ricardo Ramalho é professor titular do Departamento de Sociologia e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Fez doutorado e mestrado em Ciências Sociais (Ciência Política) na Universidade de São Paulo, e pós-doutorados na Universidade de Londres (UK) e na Universidade de Manchester (UK). Sua atuação acadêmica está voltada para a área da Sociologia do Trabalho e seus principais temas de pesquisa são: relações de trabalho na indústria; sindicato e sindicalismo; reestruturação produtiva e distritos industriais; trabalho, emprego e desenvolvimento econômico regional e local; identidade operária.
 
Debatedores: Profa. Maria Izabel de Medeiros Valle ( PPGSC/UFAM) e Silvio Kanner ( Doutorando do PPGSA/UFPA)
Coordenadora da mesa: Profa. Daniela Ribeiro de Oliveira (PPGSA/UFPA)
 
 
Dia : 25 de Setembro de 2018 (terça-feira)
Hora: 9:00
Local: Auditório do Laboratório de Filosofia